Quinta-Feira, 14 de Dezembro de 2017

Barcelona

(de 12 a 16/10/2004)

Dificuldades
No entanto, nossa primeira impressão não foi assim tão favorável. Na chegada, a informação sobre o ônibus do aeroporto foi imprecisa e, cansados devido a um atraso grande na partida do avião em Lisboa, acabamos tomando um táxi. O motorista, após ter percorrido uma longa avenida, começou a dar voltas e, mal humorado, nos informou que não conhecia nem o hotel nem a rua onde fica. Achamos estranho, pois tinha sido reservado por nossa agente de viagem, que sempre escolhe hotéis bem situados. Finalmente, após muita consulta a mapa e telefonemas dele no celular, deu mais uma volta grande e nos deixou na porta, cobrando bem mais do que o devido, de acordo com o valor dado pela moça do balcão de informação turística do aeroporto.
Tentando recuperar o tempo perdido, deixamos as malas no quarto e saímos para procurar um lugar para jantar, meu marido já de má vontade com os motoristas de táxi. Resolvemos andar. Tínhamos muitas dicas, das atrações imperdíveis, dos museus imperdíveis, dos restaurantes imperdíveis, dos transportes mas, falha minha por não ter consultado um mapa antes, não tinha nenhuma noção da disposição da cidade. Fazia uma idéia completamente diferente. Achei que tudo ficava em torno das Ramblas, o ponto mais mencionado por todos que conheciam Barcelona. Não conseguimos encontrá-las, aliás não vimos nada que nos chamasse a atenção nesse primeiro contato. Só no dia seguinte, já mais orientados, é que descobrimos termos andado para o lado contrário das atrações. Não jantamos mas, sem querer, descobrimos as “tapas” numa “cerveceria” próxima ao hotel, bastante satisfatória. Provamos algumas, também a cerveja, e voltamos ao hotel com outro ânimo.

Copyright © 2007 • Myrthes Lima • Todos os direitos reservados • Dicas Culturais RioNossaDica