Quinta-Feira, 14 de Dezembro de 2017

Istambul - Palácio Topkapi

Foto: Palácio Topkapi

Palácio Topkapi
Após a conquista de Istambul pelos turcos em 1453, o sultão otomano Mehmet II mandou construir este palácio e fez dele sua principal residência. O nome original era “Saray-I Cedide-I Amire”, mas devido aos enormes canhões diante dos portões o povo deu-lhe o nome de Topkapi (top– canhão; kapi – porta).
Em vez de um prédio único, tem uma série de pavilhões em torno de quatro pátios imensos. Os otomanos, que tinham uma vida nômade até alguns anos antes da construção deste palácio, fizeram refletir estas tradições em sua arquitetura. Tal como eles armavam suas tendas em volta de um espaço vazio para comerem e se divertirem, ao construírem o palácio os arquitetos deixaram enormes jardins no centro e construíram os edifícios em volta.
Foi usado como sede do governo até o século XVI e como residência dos sultões até 1853, quando o sultão da época, retornando da França, achou de bom tom construir um outro palácio, nos moldes europeus, às margens do Bósforo.   
Em 1924, quando aconteceu a República na Turquia, Topkapi tornou-se museu, aberto ao público, e lá estão expostos cristais, pratarias, trajes imperiais, armas, e por aí vai. No entanto, de todas as exposições a do Tesouro é a mais vistosa, pois cintila ao brilho de milhares de pedras preciosas.

Quando finalmente chegamos a Topkapi, tão anunciado como uma das principais atrações de Istambul, nosso gás já estava quase no fim. Tínhamos andado tanto, visto tanta coisa surpreendente, ouvido tantas explicações que não dava mais para captar. Entramos nas filas e visitamos as salas principais, deslumbrantes, mas sem o entusiasmo esperado diante de tais riquezas. Voltei a me animar quando passeamos pelos jardins, bem tratados e floridos, e chegamos à amurada para apreciar a vista do Bósforo, espetacular. Descemos até o restaurante, que é considerado um dos melhores da cidade, mas o que eu mais precisava naquele momento, e que era um café, não era servido sozinho naquele horário. Acho que só como parte da refeição. Visitamos, ainda, o harém e logo depois encontramos nossa guia e voltamos ao hotel. Ufa, que dia cheio!
Pensamos em voltar noutro dia, ainda mais que fica bem próximo ao nosso hotel, mas acabou não sendo possível. Aconselho quem for a Istambul destinar pelo menos uma manhã ou uma tarde inteira para esta visita, pois vale a pena. É um dos motivos pelos quais pretendo retornar...

Copyright © 2007 • Myrthes Lima • Todos os direitos reservados • Dicas Culturais RioNossaDica